início


AGUARDE O PRÓXIMO PORTO VERÃO ALEGRE
OU, PARA VENDAS E VIAGENS, LIGUE PARA

(21) 7849-5341 ou (21) 8302-7159
producao @ zele.com.br

 
 

2011: DEZ ANOS DE SUCESSO!


E assim foi a plateia todos os dias das apresentações de SOLTEIRÍSSIMA, no Porto Verão Alegre de 2011, comemorando 10 anos de palco. Nosso muito obrigado a todos que fizeram e fazem parte desse sucesso!

 


DEZ ANOS DE SOLTEIRICE TEVE FESTA "AGORA VAI!"

Se tem gente que detesta lembrar há quanto tempo está solteiro, este não foi o caso do pessoal da comédia SOLTEIRÍSSIMA, que em 2011 celebra com muito orgulho os dez anos de solteirice da Susana, uma trintona pra lá de desajeitada no departamento amoroso, personagem principal do espetáculo. Apresentada pela primeira vez ao público gaúcho em 2001, a peça comemorou uma década de vida em temporada no Porto Verão Alegre, de 11 a 16 de janeiro, no Teatro Bruno Kiefer.

Com direção de Tiago Melo, os atores José Alessandro, Eliseu Carvalho, Juliane Bitencourt e Renata Peppl, também autora do texto, divertem o público com as tragicômicas aventuras da solteirona Susana, que relembra em esquetes os momentos mais sarcásticos e cômicos de seus encontros e desencontros amorosos. Além das apresentações, a comemoração ganhou festa: no sábado (dia 15 de janeiro), a trupe saiu direto do palco para a festa  AGORA VAI! A festa das solteiras, no Café Bertoldo, da Casa de Teatro, Rua Garibaldi, 853. O grupo recebeu solteiros e casados comemorando os dez anos da peça, com direito a trilha embalada por hits de filmes românticos e o melhor das reuniões dançantes das décadas de, 80, 90 e 10.

Na “Agora Vai!” teve até clima de reunião dançante e distribuição de réplicas de Santo Antônio para as encalhadas, na torcida de que todo mundo saia acompanhado do bailinho.

Personagens garantiram a diversão de todos, como a cigana Soraya que ensinou mandingas para solteiros e casados e a centenária diva Eneida com dicas imperdíveis para a sedução de homens e mulheres.

 

CRÍTICA DE SOLTEIRÍSSIMA
Por Douglas Carvalho,
Bacharel em Artes Cênicas

É de praxe que no Porto Verão Alegre se tenham muitas peças comerciais, geralmente comédias. Quem me conhece sabe que eu não tenho nada contra peças comerciais, muito menos contra comédias. Pelo contrário: sou muito a favor, pois gosto inclusive de trabalhar em peças assim. É o tipo de peça que me atrai como público e como ator. No entanto, o teatro comercial é muitas vezes visto, principalmente pela maioria da classe teatral, como um teatro menor, de baixa qualidade, tratando de superficialidades, feito apenas para entreter o público, sem deixar qualquer possibilidade de uma reflexão pós-espetáculo. Sim, infelizmente existem muitos espetáculos assim, principalmente no Porto Verão Alegre cujo intuito principal é fomentar o teatro gaúcho num período onde geralmente as produções locais perdiam público devido ao período de férias. Porém, teatro comercial não é sinônimo de teatro de má qualidade.


O que acontece, por exemplo, se colocarmos quatro ótimos atores em cena , três deles fazendo diversos personagens muito bem caracterizados um a um? O que acontece se colocarmos uma excelente atriz no papel principal que saiba jogar com o público? O que acontece se o texto da peça for dessa mesma atriz e falar de constatações do cotidiano que muitas vezes a gente não percebe? O que acontece se os figurinos e cenários forem muito simples e práticos de forma que auxiliem a cena? O que acontece se tudo isso for pensado e produzido por um excelente e competente diretor? Teremos um dos maiores sucessos do teatro gaúcho: Solteiríssima!


Confesso que fui para o teatro convidado por uma amiga, caso contrário não teria ido, por pura falta de conhecimento e até preconceito, pensando que não iria aproveitar a minha noite. Pois bem, a surpresa foi ótima e vi, naquela noite, o meu melhor espetáculo desse verão até então. Acrescente-se ao que falei uma trilha sonora sensivelmente escolhida com músicas populares que causam imediata identificação com a platéia. Mais ainda, uma iluminação que ajuda nos múltiplos focos das múltiplas cenas que a peça possui.


E, não me canso de dizer: os atores são fantásticos! Renata Peppl, que também é a autora do texto, domina muito bem o palco, sabe jogar com a platéia e interpreta uma Susana com uma rica gama de emoções, tornando-a complexa e crível. Juliane Bitencourt usa seu humor inato para compor personagens extremamente divertidos com surpreendente naturalidade. Lucas Krug é um comediante dos melhores, daqueles que vão fundo em cada personagem, compondo fisica e psicologicamente seus papéis, tratando com extremo cuidado cada um deles. E José Alessandro arrasa na amiga (desculpem, amigo) de Suzana, sendo extremamente natural e coerente num papel difícil de não cair na caricatura, extraindo graça das situações e não da aparência ou trejeitos do personagem Horácio.


E, como todo bom espetáculo, gera reflexão, nos faz pensar e aproveitar alguma lição para a nossa própria vida. Solteiríssima pode gerar reflexões do tipo: “Nunca desista de encontrar a pessoa amada” ou “A pessoa certa pode estar mais perto do que você imagina” ou ainda “Nunca desista dos seus sonhos, cada coisa tem a hora certa para acontecer”, etc, etc e etc. Mas, ao sair do teatro, eu fiquei com a seguinte reflexão: “Não julgue o produto pela casca, vá ver!”. O espetáculo me fez acreditar mais ainda no teatro de qualidade, com gente competente, trabalhando sério para fazer o público rir. E que no próximo Porto Verão Alegre existam muito mais espetáculos comerciais de extrema qualidade como esse, alterando, quem sabe, o tradicional pensamento da maioria da classe teatral de Porto Alegre.

Fotos de Yuri Ruppenthal




SOLTEIRÍSSIMA fez tanto sucesso que levou
para Canela/RS, na mesma semana, CASADÍSSIMA.

( na foto, a protagonista: tímida por estar sem seu rayban )

2008: SUCESSO DUPLO EM CANELA!

SOLTEIRÍSSIMA foi convidada para abrir a Mostra Cultural da cidade de Canela, no Rio Grande do Sul.

No dia 5 de novembro, SOLTEIRÍSSIMA lotou o Teatro Municipal de Canela. O público gostou tanto que pediu para a Prefeitura, organizadora do evento, trazer à cidade CASADÍSSIMA.

Resultado: no domingo seguinte, 9 de novembro, os INÇOS voltaram à Canela. E deu teatro lotado novamente! Dessa vez, a população se divertiu com as histórias pós-casório de Suzana, a solteiríssima.

   
               
IMPRENSA

"Fenômeno de público volta ao palco. Há quem ame e há quem deteste. Os que dizem que a peça é ofensiva à mulher e aos gays e os que se divertem muito e aplaudem a comédia Solteiríssima em pé".
Jornal do Comércio - fevereiro/2003


"Solteiríssima já fez muitos ´morrerm de rir´ em Porto Alegre".
O SUL - novembro/2002


"Quem ainda não viu, não pode perder".
Correio do Povo - novembro/2002


"Solteiríssima, peça adulta que vem se revelando um fenômeno de público".
Jornal do Comércio - novembro/2002


"Pequenos esquetes servem para ilustrar a narrativa, feita em primeira pessoa, da personagem Susana, uma solteirona que, mesmo quando nega estar ainda interessada em casar-se, já nos 28 anos de idade, demonstra seu permanente interesse em arranjar um companheiro. Esta é a estratégia narrativa básica de Solteiríssima, comédia ligeira, inteligente, engraçada e bem bolada, que Renata Peppl escreveu, e que está sendo apresentada no Teatro de Arena, sob a direção de Tiago Melo. Abordando pequenas situações entre dramáticas, ridículas, cômicas e quase trágicas no cotidiano de uma solteirona, o texto reproduz momentos variados, evidenciando um autor atento a tudo o que o rodeia, de modo a poder transformar a matéria-prima do dia-a-dia em texto dramático.
O espetáculo, por seu lado, explora alguns procedimentos já conhecidos, como o sistema coringa, inventado por Augusto Boal, em que um mesmo personagem - no caso Susana - é vivido por mais de um intérprete. O resultado é interessante, porque permite maior agilidade ao espetáculo, evitando quebras de luz e perda de ritmo. Os figurinos do próprio diretor, bem como os adereços cênicos, também assinados por ele, são mínimos e servem apenas de rápida caracterização. A iluminação de Anilton Souza é eficiente e ajuda à criação dos climas de cada cena. (...) O resultado final é um espetáculo divertido, que agrada à gurizada que vai assisti-lo (...)
Solteiríssima, que foi apresentada durante a temporada do Verão Alegre, alcançou excelente repercussão de público e continua mantendo-se bastante bem dentre os espetáculos em cartaz, o que é, de qualquer modo, louvável."

Antônio Hohlfeldt - Jornal do Comércio - abril/2003


Jornal do Comércio - 6/2/2003

clica que amplia
Correio do Povo - 19/10/2002

A comédia sobre a "solteiríce" alheia
( ou nem tão alheia assim... )

Desde 2001 , a comédia Solteiríssima é um grande sucesso dos palcos gaúchos!

No ano de 2008, a peça retornou renovada e mais engraçada do que nunca para contar a tragicômica história de Susana, uma solteirona já passando dos trinta anos às voltas com a busca do par perfeito.

No espetáculo, Susana revive em esquetes os momentos mais sarcásticos e doloridos, e obviamente cômicos, de seus encontros e desencontros amorosos. Tem de tudo: o fim do namoro desastroso com o primeiro namorado, o momento em que se envolve com um homem mais velho, tentativa de amor via internet, constrangedora ida ao motel, e por aí vai....

Tamanha a empatia de Solteiríssima com o público, que o espetáculo ganhou a seqüência Casadíssima, outro sucesso dos teatros, que conta uma nova etapa da história da personagem: sua engraçada vida de casada, após achar a metade da laranja. Quem já viu, não pode perder esta versão de Solteiríssima, e quem não viu, deve correr para o teatro!

A comédia apresenta as confusões de uma mulher em busca de sua alma gêmea, com texto de Renata Peppl (mesma autora de Casadíssima e de O dia em que Deus hospedou o Diabo) e direção de Tiago Melo.


PRODUÇÃO:
José Alessandro
(21) 7849-5341 - José Alessandro
NEXTEL ID 81*64138
multimidia@josealessandro.com.br

CONTATO PORTO ALEGRE
(21) 9957-9517 - Renata Peppl


ASSISTA TAMBÉM, DO MESMO GRUPO: